LGPD: A nova realidade do marketing digital

Com a rápida expansão tecnológica no Brasil e no mundo, autoridades governamentais  foram obrigadas a se adaptarem e consequentemente regular a privacidade dos usuários na internet.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor no Brasil em agosto de 2020, trazendo novas regras e responsabilidades para as empresas no que diz respeito à coleta, armazenamento e tratamento de dados pessoais.

 Isso tem um impacto significativo no marketing digital, uma vez que muitas estratégias de marketing dependem de dados pessoais para segmentar públicos e personalizar conteúdo.

Neste artigo, vamos explorar como a LGPD afeta o marketing digital e como as empresas podem se adaptar às novas regras. 

1. O que é a LGPD?

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é uma lei brasileira que regulamenta a proteção de dados pessoais no país. 

Ela foi sancionada em 2018 e entrou em vigor em setembro de 2020, tendo como objetivo garantir a privacidade e a segurança dos dados pessoais dos indivíduos, bem como estabelecer regras e sanções para as empresas que lidam com esses dados. 

Isso significa que as empresas precisam tomar medidas para garantir que estejam cumprindo as novas regras e protegendo os dados dos indivíduos.

2. Qual a importância da LGPD para o Marketing Digital?

A importância dessa Lei está exatamente na regulamentação e de como as empresas podem coletar, armazenar e utilizar dados pessoais dos leads.

Isso inclui informações como nome, endereço, número de telefone e e-mail, entre outros. 

A lei estabelece que as empresas precisam obter o consentimento explícito dos indivíduos antes de coletar e usar seus dados pessoais, e também precisam informar como esses dados serão utilizados.

Além disso, a LGPD também exige que as empresas implementem medidas de segurança para proteger os dados pessoais dos indivíduos e notifiquem as autoridades em caso de violação de dados.

 Isso é crucial no contexto do marketing digital, onde a coleta e o uso de dados pessoais são frequentes e essenciais para o sucesso das campanhas de marketing. 

A LGPD também afeta o e-mail marketing, onde é necessário obter o consentimento explícito dos destinatários antes de enviar e-mails e periódicos para as campanhas.

Isso significa que as empresas precisam ter uma forma clara de obtenção de consentimento e manter os registros dessa autorização

Ou seja, essa lei é importante para garantir a privacidade e segurança dos dados pessoais dos indivíduos e estabelecer regras e sanções para as empresas que lidam com esses dados. 

A LGPD, foi de suma importância no contexto do marketing digital, onde a coleta e o uso de dados pessoais são frequentes e essenciais para o sucesso das campanhas de marketing.

 As empresas precisam se adaptar e seguir as regras pré-estabelecidas para evitarem possíveis sanções e garantir a confiança dos clientes e a certeza que seus dados não serão usados para outros fins que não sejam aqueles informados.

Confira o artigo: Estratégias avançadas de Marketing Digital: Gerando Leads e Aumentando conversões

3. Como ficou o mercado de venda de cursos online com a LGPD?

Os cursos online ou também conhecidos como infoprodutos, geralmente são vendidos através da internet e envolvem a troca de informações pessoais, como nome, endereço de e-mail e número de telefone e whatsapp.

A LGPD exige que as empresas obtenham a autorização prévia dos indivíduos e também que se informe qual o objetivo da coleta desses dados.

Além disso, a lei também exige que as empresas implementem medidas de segurança para proteger os dados pessoais dos indivíduos e notifiquem as autoridades em caso de violação de dados.

 Isso é importante para garantir a confiança dos clientes e evitar possíveis sanções legais. 

Confira o artigo: As 9 principais profissões do marketing Digital

4. Como a LGPD impactou no mercado de e-commerce no Brasil?

Como já era de se esperar, a Lei Geral de Proteção de Dados teve um impacto significativo no mercado de e-commerce no Brasil, pois estabeleceu regras rigorosas para a coleta dos dados pessoais dos clientes.

 Isso afetou diretamente as estratégias de marketing e vendas das empresas de e-commerce, pois muitas delas dependem de dados pessoais para segmentar públicos e personalizar ofertas, para concretizar suas vendas.

Desde a implementação da LGPD, as empresas de e-commerce precisaram se adaptar às novas regras, e algumas das mudanças incluem:

  • A implementação de mecanismos de consentimento para a coleta de dados pessoais, garantindo que os indivíduos tenham consciência e controle sobre como seus dados serão usados.
  • Investimento em tecnologia para proteger a privacidade dos indivíduos, como criptografia e anonimização de dados.
  • Monitoramento ativo das campanhas de marketing digital para garantir que não violam as regras da lei.
  • Revisão de processos de coleta de dados e implementação de medidas de segurança para proteger os dados pessoais dos indivíduos.
  • Notificação imediata das autoridades competentes e dos indivíduos em caso de violação de dados.
  • Nomeação de um encarregado de proteção de dados, responsável por garantir o cumprimento das regras da lei.
  • Implementação de mecanismos para lidar com os direitos dos indivíduos, como acesso, retificação, exclusão e portabilidade dos seus dados.

A implementação de todas essas novas regras, com certeza teve um impacto nos custos operacionais das empresas, porém, consequentemente, aumentou a confiança dos consumidores e a reputação dos e-commerce brasileiros.

 A longo prazo, as empresas de venda de produtos online, que se adaptam à LGPD podem se beneficiar de uma vantagem competitiva e de uma base de clientes mais fiel e que sempre vai escolhê-las pela confiança que é passada no processo de compras online.

5. Como as empresas estão adaptando a LGPD em suas estratégias de Marketing Digital?

Para se adaptarem a essa nova lei, as empresas estão buscando formas de se adaptarem às novas regras e ainda sim continuam se expandindo, já que o mercado está em franco crescimento.

Vamos então a alguns exemplos:

  • Revisão de processos de coleta de dados, como: remoção de campos de formulário desnecessários, criação de políticas de privacidade e treinamento de sócios e colaboradores da empresa.
  • Criação de mecanismos de consentimento, como:  incluir checkboxes de consentimento, botões de “aceitar” ou “recusar” e links para políticas de privacidade.
  • Investimento em tecnologia de privacidade como: criptografia e anonimização de dados para proteger a privacidade dos indivíduos, incluindo a utilização de tecnologias de privacidade by design e by default.
  • Monitoramento de campanhas de marketing para garantir que não estão violando as regras da LGPD, como: a verificação de conteúdo e o uso de ferramentas de análise de dados para detectar problemas.
  • Trabalhar com parceiros de confiança como: provedores de serviços de marketing e tecnologia e garantir que estejam cumprindo as novas regras da LGPD.

Esses exemplos mostram que, embora possa parecer um desafio se adaptar às novas regras da LGPD, as empresas podem encontrar formas de continuar a usar dados para melhorar suas estratégias de marketing digital, enquanto protegem a privacidade dos indivíduos.

6. Como usar a LGPD para garantir a confiança dos clientes?

A LGPD trouxe uma nova realidade para as empresas em relação à privacidade de dados em parceria com o marketing digital.

 Embora possa parecer um desafio se adaptar às novas regras, é importante lembrar que a LGPD foi criada para proteger a privacidade dos indivíduos e garantir que as empresas tratem os dados pessoais de forma transparente e segura.

As empresas precisam tomar medidas para garantir que estejam cumprindo as novas regras, como implementar medidas de segurança e compliance, e estabelecer políticas e práticas de privacidade. 

Isso pode incluir a revisão de processos de coleta de dados, a criação de políticas de privacidade e a formação de funcionários sobre as novas regras.

Além disso, as empresas precisam estar atentas aos riscos associados ao marketing digital, como fraudes online, problemas de privacidade e desinformação. Isso inclui monitorar ativamente suas campanhas de marketing digital e tomar medidas para evitar a disseminação de informações falsas ou enganosas.

Enquanto a adaptação à LGPD pode ser desafiadora, é importante lembrar que as novas regras foram criadas para proteger a privacidade dos indivíduos e garantir que as empresas tratem os dados pessoais de forma transparente e segura. 

Com as medidas adequadas, as empresas podem continuar a usar os dados para melhorar suas estratégias de marketing digital, enquanto cumprem as novas regras.

Perguntas Frequentes

O que é LGPD e qual seu objetivo?

É uma lei brasileira que regulamenta a proteção de dados pessoais no país. 

Que tipos de dados a LGPD abrange?

Dados pessoais de pessoais naturais, como: nome, endereço, e-mail, telefone, etc.

Quais são três os princípios da LGPD?

Finalidade, adequação e e necessidade.

Quais empresas precisam se adequar a LGPD?

Todas as empresa que solicitam dados pessoais de pessoas físicas para serem armazenados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *